Cicatrizes físicas e emocionais

Quando a nossa pele sangra, é fácil identificar a ferida. O corte ou o arranhão é tratado e, dependendo da gravidade, deixa uma cicatriz, sinal do que aconteceu ali. Quando somos submetidos a situações traumáticas do ponto de vista emocional, também precisamos superar e tratar a ferida. Neste caso nem sempre ela é visível, mas também deixa marcas ou cicatrizes nas células. A célula guarda as memórias do que vivemos. Quando não conseguimos curar completamente uma situação, ela deixa de funcionar de forma plena, como uma pele com uma cicatriz.

A diferença é que a memória em questão passa a afetar nosso organismo. Pode ser na forma de dor crónica, inflamações recorrentes, insónias, depressão ou mesmo doenças que não saram. Como a cicatriz está ali, você pode momentaneamente aliviar os sintomas, mas ela vai continuar  a provocar danos e é por isso que os sintomas voltam a incomodar.


Esta é a base da Microfisioterapia, técnica manual de origem francesa baseada na embriologia, filogenese e ontogenia, que consegue identificar as marcas deixadas pelos traumas através de micropalpações e estimular o corpo a eliminar essa marca. Nos dias e semanas subsequentes, o corpo volta ao equilibrio e o sintoma desaparece.

O terapeuta habilitado consegue identificar as causas do desequilíbrio e o tipo de trauma vivido. Ele estimula o processo de autocorreção do organismo, o que devolve as funções do organismo, eliminando as doenças.

Se você ainda não conhece a Microfisioterapia, experimente! Procure um professional habilitado e irá entender a mudança que ela é capaz de operar.