O potencial da Aromaterapia

Os óleos essenciais podem ser utlizados para tratar infecções, insónias, impotência, artrites, problemas de pele, stress, depressão e desordens imunitárias.

 

Um estudo publicado em 2002 no Journal of Clinical Psychiatry mostrou que a aromaterapia com essência de Cidreira (Melissa officinalis) tem um efeito acalmante significativo em pacientes que sofrem de demência. Outro estudo de 2006 do International Journal of Neuroscience mostra que o óleo essencial de Hortelã-pimenta (Mentha x piperita) melhora a memória e estado de alerta.

Em 2005 foi publicado no Journal of Korean Academy of Nursing, um ensaio realizado num Hospital da Coreia do Sul com 40 pacientes que sofriam de reumatismos. Este ensaio mostrou que o uso de óleos essenciais mediterrâneos (Alfazema, Manjerona, Eucalipto, Alecrim e Hortelã) reduz significativamente as dores e depressão, melhorando a qualidade de vida.

 

Os óleos essenciais têm um potencial gigantesco ainda por descubrir e são de fácil acesso e aplicação. E como não necessitam de ser ingeridos, podem ser utilizados em pacientes medicados pois a interação medicamentosa é muito dificil de ocorrer.